O Movimento Paulista de Solidariedade à Cuba convida todas as organizações e pessoas solidárias à Cuba a participarem de mais uma Convenção Estadual.

No próximo dia 03 de Junho de 2017, sábado, às 14h, realizaremos no Auditório Amarelo do Sindicato dos Bancários localizado na Rua São Bento, 413 “Ed. Martinelli” a nossa IX Convenção Estadual de Solidariedade à Cuba.

Vamos reafirmar nosso apoio à Cuba, ao seu povo e as suas lutas “Pelo fim do Bloqueio Econômico” e “Devolução do território de Guantanamo”.

PROGRAMAÇÃO
14h – Recepção e apresentação musical de Che Jara Arrais

14h30 – Mesa: A conjuntura cubana e as bandeiras de solidariedade internacional
– Nelida Hernandéz Carmona – Cônsul Geral de Cuba em São Paulo
– Carmen Diniz – Comitê Carioca de Solidariedade à Cuba
– Apresentação do documentário “Toda Guantánamo é nossa”

16h30 – Mesa: A solidariedade brasileira à Cuba
– Participação de representantes das organizações solidária à Cuba em São Paulo e de pessoas exiladas em Cuba durante a ditadura militar brasileira

Confirme sua presença no Facebook:

 

 

Convocatória para a XXIII Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba
Belo Horizonte – 15 a 17 de Junho de 2017

A Associação Cultural José Marti de Minas Gerais (ACJMMG) e o Movimento Brasileiro de Solidariedade a Cuba convocam a participar da XXIII Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba que ocorrerá de 15 a 17 de junho, em Belo Horizonte. Um momento de alegria e reflexão que conta com o apoio das entidades de solidariedade a Cuba de todo o território nacional.

Inspirados em seus exemplos de luta e abnegação e prestando nossas homenagens ao Comandante Fidel Castro Ruz e a Ernesto Che Guevara por ocasião do 50º ano de seu assassinato, realizamos a XXIII Convenção Nacional conscientes de que sobre Cuba ainda se mantém um bloqueio econômico, financeiro e comercial genocida, a base naval em Guantánamo permanece ilegalmente ocupada e subsistem ações subversivas contra o território cubano por parte dos Estados Unidos da América.

Os povos vivem hoje num contexto marcado por uma cruel e arrogante ofensiva do imperialismo contra os governos progressistas.

Torna-se cada vez mais evidente a necessidade de fortalecer a unidade entre nossos povos em defesa da soberania e autodeterminação. Sob a palavra de ordem “Nenhum Direito a Menos” urge nos engajarmos as forças democráticas e populares, os partidos, os movimentos sociais e sindicais brasileiros, reafirmando nossas bandeiras de solidariedade e amizade a Cuba socialista.

Neste momento em que celebramos também os 100 anos da Revolução Russa, permanecemos convictos de que aos povos pertence o futuro.

Repetimos as palavras de Fidel: “As bombas podem matar os famintos, os doentes, os ignorantes, mas não podem matar a fome, as doenças, a ignorância”.

Até a Vitoria Sempre!!!

Associação Cultural José Martí Minas Gerais

Compartilhar